top of page
  • Rudy Rafael

O primeiro chefe do Governo da Nova Ordem Mundial será uma mulher adulta branca loura de cabelo curt

Atualizado: 22 de jan.

“Vi, então, levantar-se do mar uma Fera que tinha dez chifres e sete cabeças; sobre os chifres, dez diademas; e nas suas cabeças, nomes blasfematórios.” – Apocalipse 13:1.


Das informações que eu obtive do plano espiritual em 28/03/2020 o primeiro chefe do Governo da Nova Ordem Mundial (NOM) negativa no mundo será uma mulher adulta branca loura de cabelo curto da Escandinávia e há razão para tudo isso. A genialidade da NOM negativa jamais deve ser subestimada, tudo o que eles fazem tem chance 0 de erro e eles sabem que tudo que fizerem terá sucesso, pois além da inteligência espiritual negativa que possuem está escrito que isso deverá acontecer. Como são seres que já sabem o que irá acontecer, não existem erros para eles. Eles sabem muito bem como conseguir o que querem e a crise com a pandemia do coronavírus de 2020 mostrou isso.


Uma mulher será bem mais aceita pela humanidade como um todo. Nenhum líder das grandes potências mundiais se submeteria a um governo comandado por um de seus rivais. O presidente dos EUA não aceitaria ser comandado pelo presidente da Rússia, que não aceitaria ser comandado pelo primeiro-ministro do Reino Unido, que não aceitaria ser comandado pelo presidente da França e assim por diante. Homens são homens e um homem de grande poder não aceitaria ser comandado por outro homem de grande poder. Sendo o chefe uma mulher aniquilaria-se esse sistema de competição entre homens de poder por poder e eles aceitariam esse Governo porque nenhum deles seria o chefe.


Essa mulher será alguém de fora do jogo político, alguém que não seja chefe de Estado para que os demais Estados não se sintam inferiorizados. Se o Chefe de Estado de um país se sujeita a ser comandado por outro Chefe de Estado ele acaba colocando o seu próprio país em posição inferior ao país de onde advém o chefe desse novo Governo. Assim, por tratar-se de alguém que não governa nenhum país, os demais Estados não se sentirão inferiores ou que colocaram seus respectivos países em posição inferior ao país até então comandado pelo seu chefe do Governo Mundial. Por isso, a mulher que comandará por primeiro o Governo Mundial não será chefe de Estado.


Uma mulher cativa mais as pessoas do que um homem. O homem foi muito demonizado, como alguém cruel, sádico, tirano, ditador e até mesmo insano e perverso, mas as mulheres contam com essa aura de mães bondosas e profissionais vencedoras. Uma mulher no poder vai acalentar mais os corações das pessoas, que verão nela alguém imparcial, justo, descomprometido com a busca pelo poder do mundo dos homens; para uns será a típica mãe do lar bondosa que entende as dificuldades da vida familiar e para outros será a mulher vencedora do mercado de trabalho que conquistou seu espaço. Uma mulher vai ser muito mais bem recebida do que um homem.


A mulher será branca e de cabelo curto. Será de pele branca para ser mais bem recebida pela elite européia. Por mais que a Europa seja bem receptiva à imigração, para sua elite ainda soa melhor aos olhos as pessoas brancas nas altas posições de poder, ainda mais em um caso assim de um Governo único mundial. O cabelo curto será para dar um ar de modernidade à mulher, alguém mais ligada ao mundo moderno, jovem e para frente. O cabelo comprido instintivamente ligaria a mulher ao passado, ao conservadorismo, ao feminino mais vulnerável e essa mulher deverá apresentar ser forte e moderna, sem medo de enfrentar os homens da política mundial.


A mulher será da Escandinávia – aí percebo que seja da Noruega – por ser uma região que não figura com qualquer país como super potência política mundial e desta forma as grandes super potências não irão se sentir menosprezadas por terem uma mulher de país rival comandando o Governo Mundial. Será da Escandinávia também por ser uma região tida como exemplo para tudo no mundo, principalmente em relação ao respeito ao meio ambiente. A Escandinávia hoje é vista como exemplo de tudo e isso atrairá a simpatia do mundo, pois verão na mulher, da Escandinávia, alguém com capacidade de fazer pelo mundo aquilo que foi feito com a Escandinávia.


A mulher será jovem – aí percebo que da faixa dos 40 ou 50 anos – para que seja mais bem aceita por todos, tanto pelos jovens por verem nela alguém próxima de sua geração quanto pelo adultos por verem nela alguém de sua geração e assim se identificarem com ela, como também pelos idosos, para que vejam nela alguém com vigor para o futuro. Não seria interessante alguém muito jovem em quem os adultos não se vissem e não se sentissem representados e os idosos não confiassem por falta de experiência, tampouco alguém idoso para que os jovens vissem alguém atrasado e os adultos alguém que não os representa. O adulto com vigor, moderno e com experiência é o mais bem recebido por todos.


A primeira chefe do Governo da NOM negativa dará início ao projeto das entidades negativas que querem dominar a Terra e ela obedecerá aos princípios das entidades das trevas, que sempre vão começar parecendo bonzinhos e salvadores para depois revelar quem realmente são. No começo tudo vai começar parecendo uma maravilha para que o ser humano aceite esse sistema, mesmo que de início já haja medidas que possam ser tiranas para as pessoas totalmente livres. Para a maioria das pessoas não haverá problema algum em coisas como isolamentos e quarentenas. De início, as pessoas vão aceitar tudo em prol de alguma proteção, segurança ou manutenção de sobrevivência.


A primeira chefe do Governo da NOM negativa será idolatrada pelos jovens, respeitada pelos adultos e aceita pelos idosos. A juventude vai se sentir representada por ela e seus ideais escandinavos liberais, os adultos vão ver nela alguém com potencial de manejo financeiro e os idosos verão nela alguém cuja imagem lhe causa simpatia. O Governo das Trevas não chegará apresentando um líder tirano, ditador e perverso, mas chegará apresentando uma mulher simpática, inteligente, de boa aparência, destemida e “antenada nos valores liberais de um mundo mais justo, seguro e responsável”. Esse estereótipo de líder já é bem aceito pela sociedade e cada vez mais será mais bem aceito.


Essa mulher será alguém mais vinculada às causas ambientais do que às políticas, alguém mais vinculada às causas politicamente corretas que são normas e diretrizes das organizações mundiais. No tempo da pandemia do coronavírus a Organização Mundial da Saúde teve de fato mais poder do que qualquer Estado do mundo e o mundo inteiro se submeteu à ela. Essas causas politicamente corretas atraem a simpatia do mundo inteiro e serão usadas como ferramenta de domínio da NOM negativa. É mais fácil o mundo inteiro bem receber uma mulher que defende a preservação ambiental do que uma mulher que defenda um espectro político. Eis a primeira chefe do Governo da NOM negativa.

1 visualização0 comentário

Kommentarer


bottom of page